Como se prevenir contra o câncer de mama?

Infelizmente o câncer de mama é uma das maiores causas de mortes em mulheres em todo o mundo. Por isso ele tem recebido atenção dos órgãos de saúde, mas ainda assim o número de casos é crescente.

Por isso é importante investir em prevenção. Só assim será possível detectar a doença no início, quando as chances de cura são muito elevadas. É importante saber que existem formas de:

  • Detectar a doença quando ela ainda está no início.
  • Prevenir efetivamente este mal.
  • Cultivar hábitos que podem colaborar para que a doença não apareça.

Quer saber mais a respeito? Confira!

 

Detectando a doença ainda está no início

É muito importante que a mulher faça exames periódicos. É através deles que muitos problemas podem ser descobertos e tratados em seu início, causando muito menos sofrimento.            No caso específico do câncer de mama, os principais exames são:

 

  • Autoexame

A mulher, através do autoexame, aprende a conhecer seu próprio corpo. Se perceber alguma alteração, como uma área dura, um abaulamento ou uma retração, é muito importante consultar um especialista.

 

  • Mamografia

A recomendação do Ministério da Saúde é que a mamografia de rastreamento seja feita em todas as mulheres entre 50 e 69 anos, pelo menos a cada dois anos.

Mas nos casos em que haja um histórico familiar ou quando o médico achar indicado, pode ser feita antes.

 

Prevenindo o aparecimento da doença

Caso você faça parte do grupo de risco para desenvolver a doença, existem alguns medicamentos que podem reduzir as chances do seu aparecimento.

O mais indicado procurar seu médico e buscar  informações se tais drogas podem ser úteis para o seu caso.

Quimioprevenção é o nome dado ao uso de medicamentos com a finalidade de reduzir o desenvolvimento da doença. Eles fazem o bloqueio hormonal da produção de estrogênio nas células mamárias, logo, podem reduzir o risco do câncer de mama.

Vale ressaltar que devem ser administrados por um período de 5 anos para obter os resultados desejados.

É muito importante avaliar seus benefícios, assim como seus efeitos colaterais para decidir, juntamente com seu médico, se vale ou não a pena fazer uso de tais medicamentos.

Nos casos de mulheres que apresentem alto risco do desenvolvimento da doença, uma alternativa é o tratamento cirúrgico, através da remoção total das mamas ou ovários.

Vale lembrar que a cirurgia não é capaz de prevenir completamente o câncer, pois algumas células cancerígenas ainda podem permanecer no corpo da mulher.

 

Cultivando hábitos que podem colaborar para que a doença não apareça

A mudança de hábitos também pode ser essencial para prevenir o aparecimento da doença. Veja alguns hábitos que você pode adotar:

 

  • Manter uma alimentação equilibrada

Alguns alimentos devem ser evitados, principalmente os enlatados, carnes processadas e embutidos, por conterem muitos conservantes e aditivos químicos.

Por isso, dê preferência aos vegetais, frutas, legumes, verduras, carnes magras e alimentos ricos em fibras e minerais.

 

  • Prática de exercícios físicos

Saiba que a prática de exercícios físicos regulares diminui cerca de 1/3 o risco de desenvolver câncer de mama. Procure fazer algum exercício físico, pelo menos, 3 vezes por semana por cerca de 30 a 40 minutos.

 

  • Evitar o cigarro

Além de o cigarro ser a principal causa de câncer de pulmão, também é um fator de risco importante para o câncer de mama.

 

  • Não ingerir álcool em excesso

De acordo com o INCA, o uso excessivo de álcool aumenta o risco de câncer de mama e pode piorar se este for associado ao cigarro.

 

A prevenção desta doença tão temida pelas mulheres passa principalmente pelos exames periódicos e pelo cultivo de hábitos saudáveis.

Para aquelas que sabem que possuem uma probabilidade muito maior de desenvolver o problema, o uso de medicação pode ser indicado e outras técnicas pode ser estudado.

O importante é não descuidar da sua saúde. Só assim você poderá continuar se mantendo ativa e cuidando do seu corpo.

CMI – Clínica Médica Integrada – conta com médicos especializados em Mastologia, entre em contato e agende uma consulta.

Unidade Diadema:
Telefone: 011 2375-1217
Whatsapp: 011 94729-1127

Unidade Ipiranga:
Telefone: 011 2628-0612
Whatsapp: 011 94729-1127

Qual o momento ideal para ir ao mastologista?

Existem diversas doenças com e sem tratamento que afetam as pessoas e trazem um impacto negativo junto com os sintomas. No caso das mulheres, doenças relacionadas às mamas podem aparecer de surpresa e mudar completamente o seu mundo. Por isso é fundamental que a mulher se previna e faça um autoexame periodicamente ou sempre que suspeitar de algo. Caso houver uma suspeita, este será o momento de ir ao mastologista.

 

O mastologista é o melhor amigo das mamas, e será este profissional que irá dizer se algo está errado. Este importante especialista é o médico responsável por diagnosticar, tratar, e cuidar da saúde de pacientes mulheres.

 

Os tratamentos existentes, os métodos de reabilitação, procedimentos cirúrgicos e exames, são realizados a partir de uma consulta com um mastologista. Esse especialista em doenças da mama é extremamente importante e deve ser procurado antes da existência de um sintoma.

 

Consultas periódicas ao mastologista deve fazer parte da agenda de mulheres com 35 anos ou mais. Acima dos 40 anos essa rotina deverá acontecer no mínimo uma vez por ano. Ainda que não existam sinais de algo errado com as mamas, as mulheres devem assumir este importante hábito.

 

A tecnologia utilizada nos exames consegue detectar algo de errado com a saúde das mamas de forma antecipada aos sintomas. Doenças como o câncer de mama, formações malignas ou benignas são identificadas através de um exame de mamografia e outros exames.

 

Ir ao mastologista pode evitar e tratar quais tipos de doenças?

 

Dor mamária

 

Diversas patologias podem afetar as mulheres e apresentar sintomas na região das mamas, sendo a pior delas o câncer de mama. Mas, doenças consideradas menos preocupantes e agressivas como o câncer podem afetar de forma negativa caso não sejam tratadas.

 

A dor mamária não é considerada um sintoma de câncer, pois neste caso o câncer funciona de forma silenciosa. Bom seria se houvesse dor logo no início de um câncer de mama, assim o diagnóstico e o tratamento seria mais eficaz.

 

Dores nos seios é motivo suficiente para uma mulher ir ao mastologista imediatamente, pois toda dor significa sinal de alerta. Mas sem terrorismo psicológico, o ciclo menstrual pode provocar dores nos seios e não devem causar preocupações.

 

O autoexame de mama é o mais aconselhado para dar início a uma suspeita. Através do autoexame é possível identificar cistos e nódulos e logo em seguida marcar uma consulta com um médico.

 

Cistos e nódulos

 

As formações císticas nas mamas são comuns e são menos duras ao toque do que os nódulos. Uma ótima dica para saber se é um cisto ou um nódulo: cistos aumentam de tamanho no período pré-menstrual e logo após diminuem. Já os nódulos seguem o processo inverso. O cisto pode evoluir para um nódulo e o diagnóstico exato para saber do que se trata será dado pelo mastologista.

 

Hiperplasia ductal atípica

 

Outra doença que pode ser prevenida e tratada pelo simples fato de ir ao mastologista é a hiperplasia ductal atípica. Essa doença está diretamente ligada ao aumento da quantidade de casos de câncer de mama entre as mulheres. Porém, isso não indica de forma exata que uma paciente irá desenvolver câncer devido à hiperplasia ductal atípica.

 

Assimetria mamária

 

Isso pode ocorrer quando as mamas estão se formando durante a adolescência. O corpo se desenvolve e os hormônios impulsionam o crescimento dos seios neste período. Esse pode ser um motivo para uma consulta com o mastologista indicado por um ginecologista. Caso seja necessário algum exame mais específico ou até um procedimento cirúrgico, ir ao mastologista será o primeiro passo.

 

Secreção

 

As secreções podem representar um sinal de alerta caso somente for expelida por uma das mamas. Caso a coloração seja semelhante a água contendo resíduos de sangue, então um médico deverá ser consultado imediatamente. Se estes sinais aparecerem nos seios, pode ser que o problema tenha se expandido. Esses e outros problemas podem surgir e ir ao mastologista sempre será a melhor forma de prevenção.

 

 

Como irá ocorrer a consulta com o mastologista?

 

A consulta com um mastologista será mais um procedimento médico de rotina que irá somar na vida da mulher. No início, serão realizadas algumas perguntas de rotina importantes para traçar um perfil da paciente. Esse questionário é chamado de anamnese e questiona a idade, hábitos, principais queixas, histórico familiar, entre outras perguntas.

 

Logo após a paciente ter respondido este importante questionário, o médico irá realizar um exame físico apalpando as mamas durante o procedimento. Esse exame físico pode ser desconfortável para algumas mulheres, mas deve ser encarado como qualquer outro exame. Após este exame físico realizado pelo mastologista, outros exames complementares podem ser solicitados.

 

Os exames de imagem, como a mamografia, ressonância magnética e ultrassom poderão ser solicitado em seguida. Esses exames serão fundamentais para apontar com mais precisão o surgimento de anomalias e doenças nas mamas. Após esses procedimentos, o médico mastologista poderá dar um diagnóstico primário sobre a saúde da paciente. Caso seja necessário, ele irá pedir uma biópsia para um diagnóstico de suspeitas de câncer de mama.

 

CMI – Clínica Médica Integrada – conta com médicos especializados em Mastologia, entre em contato e agende uma consulta.

Unidade Alto do Ipiranga:
Telefone: 011 2507-5694
Whatsapp: 011 95647-9149

Unidade Ipiranga:
Telefone: 011 2628-0612
Whatsapp: 011 94729-1127